30 dezembro, 2013

Recuperando o metabolismo II {Meu drama}

Pra começar, esse é obviamente a continuação da minha trajetória pra recuperar meu "normal". A primeira parte você lê aqui >> Recuperando o metabolismo I
Neste post vou falar mais detalhadamente como comecei e cada fase que fui descobrindo passo a passo.
**Atenção: Essa é a minha experiência pessoal, se vc tem algum problema de saúde, deve procurar ajuda adequada e não recorrer a desconhecidos na internet.**


Mudança começa na mente

No começo a grande virada foi mental. me permiti comer coisas que há muito tempo estavam na minha lista negra e que consumia muito pouco e raramente, sempre me sentindo culpada por estar "estragando" todo meu esforço. Quando  taxamos comida em "ruim" ou "boa", só ajuda a manter um relacionamento distorcido com alimentação. Alimentos não devem ter qualquer moralidade ligados a ele, nem devemos nos definir por nossas escolhas alimentares. Ontem fui "ruim" porque comi um cookie, ou hoje sou "boa" porque resisti a tentação... Escolhi não mais viver dessa forma. Não aceito mais essa pressão psicológica desnecessária.
Se partirmos do princípio que todo alimento é energia para vivermos, então começamos livremente a fazer escolhas melhores para nossa saúde, sem nos restringir de comer algo por prazer, pois PRAZER faz parte de uma alimentação balanceada SIM e culpa não deve entrar no cardápio.

Fator Stress:

Diminui tudo que estava me estressando sem necessidade. 
Isso incluiu minha cota de exercício que além da minha rotina bem puxada (6-12 horas de trabalho em pé) ainda incluía cardio quase diário + musculação. Essa rotina sem o combustível (comida) suficiente era o que me quebrava em primeiro lugar, então a solução pra ir revertendo aos poucos foi diminuir a atividade física e aumentar as calorias gradativamente - Opa, ai você já ta extrapolando não? Vou engordar 1 tonelada desse jeito! ...NÃO vai não, calma ai.
Outra coisa que é possível cortar é a neura de planejar estritamente todas as refeições. Hoje eu tenho prazer em fazer minhas refeições mais lights e diferentes a maior parte do tempo, mas já tenho mais flexibilidade de comer algo não planejado ou feito por outra pessoa. 
Sono também é um fator muito importante, preciso de no mínimo 8 horas diárias para descansar bem, e antes acordava várias vezes na madrugada ou com fome ou precisando ir no banheiro por tanta água ou chás que tomava antes de dormir pra "enrolar" a fome.

Inspirações negativas

Cortei da minha "vida virtual" todos os exemplos de pessoas que atingiram um objetivo estético mas que os meios que utilizaram pra isso eram fora da minha realidade. Ninguém precisa se culpar por não ter a força de vontade delas, não conseguir tal objetivo tão rápido, ser taxada de fraca, preguiçosa ou inventando desculpas.
Também cortei da minha vida todas as pessoas que me alienavam a continuar num rumo que não estava me fazendo bem. Algumas pessoas são tão depressivas e tristes com seu próprio corpo e inseguranças que tudo que fazem é sugar sua energia de mudar para melhor, então por uns meses, me afastei de muitos.


Começo:

Coloquei na minha cabeça que queria dar um ponto final no meu drama e comecei a comer mais a partir do dia 03 de Maio 2013.  Nessa foto mostra o calculo de quantas calorias eu precisaria pra manter meu peso com essas atividades (estava sendo bem modesta porque tinha medo ainda do numero ser muito maior rsrs) e esse é o calculo que usei no começo. Se vc quer fazer seu calculo também aqui vai o link da calculadora >> Energy Expenditure Calculator mas saiba que esse é um calculo estimado e é valido se vc tem o metabolismo funcionando normalmente. 



Eu estava comendo normalmente 1200-1300 calorias num dia "bom", com ocasionais crises de compulsão onde comia grandes quantidades de comida (geralmente doces) em pouco tempo e me sentindo sem controle, que claro faziam todo o sentido quando vemos ai nos cálculos que isso não era nem meu metabolismo basal, que mostra que só para me manter viva, meu corpo precisava de 1,616 calorias para suas atividades básicas, como respirar, coração bater, digestão, etc. 1.300 calorias tirando +ou- 700 calorias de exercício e atividades normais do dia-a-dia sobram 600 calorias, o que estava suprimindo meu metabolismo de uma tal forma que eu já apresentava vários sinais físicos como descrevi no primeiro post, só que não conseguia mais emagrecer, primeiro porque eu extrapolava nas compulsões e acabava comendo muito mais, e outro fator importante é que quando vc restringe calorias demais assim vc obriga seu organismo a funcionar com menos e ele se adapta gastando menos do que um metabolismo normal.
Vou explicar melhor; se vc vem fazendo dietas malucas ou restringindo calorias demais, chances são que seu metabolismo está suprimido e gastando bem menas calorias que uma pessoa com o metabolismo normal em seu mesmo peso. Para regular ele de volta, a chave é comer o suficiente para que ele se estabilize normalmente.


**Resumo por mês**

Maio: 

Peso: 76 kilos distribuidos em 1,73 (so pra constar hehe)
Comecei com alguma dificuldade em aumentar as calorias devido a culpa que ainda me dava por ultrapassar conscientemente o meu limite de 1200 calorias, mas com duas semanas eu já estava bem a vontade.
Meu apetite foi voltando e veio com toda força, uma fome sem fim como se estivesse sido trancada todos esses anos sem comer rsrs era como se fosse uma grande crise de compulsão só que dessa vez eu sentia a comida, seu sabor, mastigava com gosto o que realmente tenho prazer de comer.
Comia de tudo, coisa considerada "saudável" e os "junk" que se resumiam a doces e mais doces, nunca tive muita vontade por salgados mas comi macarrão (sem ser integral!!) com molho (gordo!) com muuuuita vontade, coisa que há anos não me permitia, batata inglesa também entrou no cardápio e vi como eu senti falta! Teve também meu reencontro com manteiga, aaaah manteiga de verdade num inhame bem molinho e queijo nhamnham. Eu amo comida cara! Acho que deu pra notar ne? 
Com certeza eu ultrapassei 4000 calorias e claro meu peso foi progredindo junto com o aumento calórico. Fiz os ajustes na calculadora de calorias para meu peso atual, respirava fundo e comia. Muito inchaço e gases, meu sistema digestivo entrou em parafuso e comecei a pirar com a balança mas não tinha mais como voltar atrás. Prometi a mim mesma que dessa vez eu iria até o final e não sossegaria enquanto não fizesse tudo que tivesse ao meu alcance para recuperar.
Começo a ficar muito exausta pra fazer cardio, e fico só no programa da Nia Shanks (Beautiful Badassde musculação em casa para iniciantes 3x na semana.

Junho:

Peso: 81 kilos
Meu humor começa a melhorar consideravelmente, crises de tpm muito mais amenas e durmo como um bebê. Minha temperatura interna também aumenta e meu libido ressurge das cinzas rsrs 
Nenhum episódio de compulsão e 0 (zero!!) desejos por doces.
A essa altura muita roupa já não cabia ou ficava muito incomoda, apertada. Dei a louca e sai separando TUDO no guarda-roupa que não vestia há muito tempo ou que não entrava mesmo. Sem dó, sem drama, sem stress. Juntei 2 sacos grandes de lixo entupidos para doar, de jeans, vestidos, blusas, casacos e uma cruz enorme saiu das minhas costas. Foi como dar adeus a uma tristeza terrível que era olhar pra todo aquele armário que pertencia a meu corpo antigo e aceitar que agora é tudo diferente, foi libertador.
Fiquei com poucas peças e muita roupa de ginástica... Saí com el maridon pra achar algumas coisas no goodwill (lugar onde vende roupas usadas em bom estado e por um preço beeeem em conta) e me surpreendi com o quão bem eu posso parecer se vestir uma peça no tamanho adequado. 
Minha energia foi lá pra cima e comecei a aceitar mais o turbilhão de mudanças no meu corpo e mente. Sempre lendo muito no blog da <Go Kaleo>, <YourEatopia> e participando ativamente do grupo <ETF> (Eating The Food) no facebook que era meu consolo nas horas mais difíceis.

Julho:

Peso: 85 kilos
Apetite começa a dar uma moderada, comida já não mais é meu foco, se tornou mais uma coisa no meu dia e pra ser sincera, bem sem graça agora que tudo é permitido...
Começo a ter reações alérgicas e suspeito ser da soja já que era vegetariana na época e tinha começado a comer em grande quantidade para atingir as 100-150 gramas de proteína que era meu objetivo diário. Cortei a soja e os sintomas regrediram, mas para atingir a cota que queria,resolvi introduzir carnes novamente (>>Ver O que aprendi com o vegetarianismo). Dei um tempo com musculação, me sentia exausta, precisava de um tempo pra "digerir" toda transformação e recuperar das alergias.

Agosto:

Peso: 90 kilos
Começando a me sentir melhor, comecei a contar mais seriamente minhas calorias já que a maioria eu fazia no olhometro, comprei uma <balança de comida> que diz já o valor nutricional do alimento tudo bonitinho e fazia o log no app <LoseIt> no meu telefone. Etabilizei o peso comendo 2500-3000 calorias por dia e recomecei 3x na semana com exercícios de resistência em casa e 2x caminhada/corrida/bike leve por 20-30 minutos.
Criamos o grupo privado no facebook <Comendo Sem Culpa> que também se torna um grupo de apoio a quem esta saindo dessa mentalidade de dieta e quer alcançar uma vida mais equilibrada sem ter que seguir rótulos e entrar em paranóia de "ideais" impostos pela sociedade.

Setembro:

Peso começa a baixar gradativamente, sem muito esforço. Apenas seguindo meu apetite que estava diminuindo e eu tendo mais consciência dos meus sinais de fome e saciedade. Estou mais a vontade com meu novo corpo e me sinto muito mais segura que estou no caminho certo. Vou a uma nutri, explico toda situação e ela me passa um plano alimentar pra perder gordura. Indicou também alguns suplementos que não tomei como fibras e óleo de peixe e uns que já tinha usado com sucesso e voltei a usar que foram o óleo de prímula e um probiótico. Tentei seguir o plano mas sem muito sucesso...Comecei a ter compulsões no fim do dia (similares a quando eu não comia suficiente antes) e a ter aquele pensamento que nunca dá em nada bom: hoje to "má" amanhã compenso... Desisti e decidi fazer o que estava funcionando antes.

Outubro:

Só continuo firme com o que venho fazendo e dando resultado. Me desafiando mais na musculação que faço em casa e ficando cada vez mais confiante. Grande vitória quando no Halloween aqui na Florida eu não tive vontade alguma de comer o pacote de 1 kilo de chocolates sortidos que comprei, e ano passado devorei quase inteiro sozinha.

Novembro:

Peso: 85 kilos
Muito feliz e empolgada com os resultados, que são lentos é verdade mas são significativos principalmente por serem alcançados conquistando estabilidade emocional, sem me privar de nada que amo e aproveitando o melhor da vida que é VIVER!

Diferença de 5 kilos de agosto a novembro
Recomposição Corporal
A alergia voltou muito pior e os médicos me encheram de remédios. Começo a prestar 1000x mais atenção ao que eu como e como meu corpo reage e chego a conclusão que frango, atum e iogurte não me fazem bem. Começo a ter reações na pele quando como, pontinhos vermelhos aparecem pelo corpo inteiro coçando muito. Ainda estou decifrando tudo isso que é muito novo pra mim mas parece estável agora que separei pelo menos essas 3 coisas.

Dezembro:

Peso atual: 84 kilos
Comendo 2100-2600 calorias por dia (dependendo do apetite que sigo normalmente conforme minhas atividades), consumindo no mínimo 100g de proteína por dia, treinando musculação em casa 3x na semana (meus treinos são de no máximo 45 minutos incluindo aquecimento- HIIT- e alongamento) e fazendo cardio quando dá vontade, sendo o mais ativa que posso ser durante o dia mas sem estresse e sem forçar a barra. 
Se me perguntarem se queria meu corpo de volta 15 kgs a menos, diria que sim, mas com as neuras que tinha pra mantê-lo NÃO. Ficava muito pra baixo quando me comparava comigo mesma na minha "melhor forma" e foi uma luta muito grande ver meu corpo se transformando novamente ao que mais temia que era o risco iminente de obesidade e os traumas que ainda carregava sobre ter excesso de peso. Mas posso dizer com todas as palavras hoje que valeu a pena confiar no processo, e que não engordei indeterminavelmente e que não me perdi nem me entreguei, ao contrário, foi um caminho de auto-conhecimento em que me achei e abriu meus olhos a tanta coisa que estava perdendo de aproveitar na vida por meu próprio preconceito e paranóia (pra que?!?) além de ter melhorado muito minha relação com meu próprio corpo e como me vejo.

Culpa por não estar se recuperando rápido

Quem tá tentando sair do transtorno alimentar fica muitas vezes sentido raiva por não conseguir ou por se sentir incapaz de se livrar dos pensamentos obsessivos sobre comida e exercícios, mas isso é uma processo longo, é um passinho de cada vez e cada mínima vitória tem que ser celebrada.
Eu comecei a ensaiar a recuperação há muito tempo sem nem saber exatamente, desde que comecei esse blog há pouco mais de um ano, eu já vinha me dando liberdade de experimentar bem mais do que minha fase punk em 2010 onde os principais sintomas de distúrbio alimentar se manisfestaram com clareza. 
É muito difícil quebrar hábitos que já estão tão enraizados no nosso inconsciente que parece que se misturam com quem realmente somos. Paciência e confiar no processo são imprescindíveis
Se amar e se tratar com carinho também fazem parte e não significa se entregar ao "deus dará". Pra muita gente você tem que lutar contra seu corpo arduamente se não quiser engordar, mas seu corpo não é seu inimigo! Você precisa dar o melhor a ele e ENTENDER o que ele precisa pra TE oferecer uma melhor qualidade de vida. 
Se você estiver sempre o subjugando, forçando a se encaixar em um molde que ele não precisa entrar, realizando atos extremos pra atingir uma nova meta com a desculpa que isso é foco e força de vontade, te digo agora que um dia seu corpo vai se rebelar e quebrar como o meu também, e pra reverter isso é muito, mas muito doloroso.
Acho muito válido também se envolver com um grupo de apoio que te entenda e que você possa desabafar, principalmente se a maioria ao seu redor não entende a situação e nem sabe te ajudar (muitas vezes até atrapalham, olhando pro lado negativo o que te incentiva a se entregar aos pensamentos obsessivos novamente). Atividades como Yoga restaurativa (mais gentil e tranquila com foco em alongamento e meditação) me ajudou bastante a entrar em sintonia com meu corpo e olha-lo com mais carinho no espelho.
Se envolver em atividades que te dão prazer, coisas que te fazem feliz, escrever sobre seus sentimentos, cantar, escutar música, fazer algo ao ar livre, ser mais consciente de tudo que você é capaz de fazer no seu dia e o quão importante você é. Achar seus dons, ser grata por tudo que se tem, se importar mais com seu próximo, achar paz em saber que você é o melhor que pode ser nesse exato momento.
O transtorno alimentar absorve toda a sua vida, então quanto mais você ocupar sua mente com coisas positivas, menos espaço ele vai ter.
 E procure ajuda! Vc não precisa (nem deve) passar por isso sozinha. Quem tem realmente um Transtorno Alimentar, deve procurar ajuda médica e investir em tratamento intensivo, é uma doença psicológica séria e pode ser fatal.  

Participe do nosso grupo privado no FaceBook: Comendo Sem Culpa
Curta nossa página por lá também: Blog Eu-Goísta
E tem também a @eugoista no Instagram.






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

5 comentários:

  1. Paula, querida!
    Não é a primeira vez que ler algo que tu escreve me comove, toca. E mais uma vez você tem razão!
    Como quero - e preciso - encarar meu corpo como um amigo e não inimigo, já que a cada dia eu só tento me eliminar...
    Obrigada por compartilhar essas coisas maravilhosas conosco! Tô na torcida sempre! :)
    Amo-te! E morro de orgulho de ti :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua linda! Vc faz falta la no grupo viu?! ;***

      Excluir
  2. Engraçado que esse ano fiz o mesmo. Deletei várias pessoas que eu "achava" que me inspiravam, mas que na verdade me colocavam naquele pensamento de que seria impossível chegar lá sendo uma simples mortal!!! Adorei te ler!!! Sucesso para vc!!! Um bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa! ;)
      Amei o nome, vou la visitar o blog. Obrigada por dar uma paradinha e comentar. Bjão!

      Excluir
  3. Nem me fala que viajei pro RJ e com o comportamento viajante sem compromisso com horários, fiquei toda desregrada e jacando de vez em quanto Amanhã tem reunião com a Nutri!

    ResponderExcluir