03 novembro, 2013

Recuperando o Metabolismo I

Comecei a escrever o post falando como consegui recuperar meu metabolismo e resolvi dividir em duas partes pra ficar mais completinho. <perfeccionista detected>

Primeiro bem que poderia chamar esse post de: Retornando ao básico, Voltando ao normal ou Ganhando a vida de volta rsrs

Pra quem tá por fora do drama, desde Maio deste ano (2013) eu venho comendo mais pra recuperar meu metabolismo e "normalizar" meu relacionamento com comida e exercício que vinham meio fora de controle nos últimos meses. Fazendo um resumão, sai mais ou menos assim:
- Neste post [O que Ninguém te Conta Sobre A Dieta] eu explico como percebi que meu metabolismo estava desregulado. Os sintomas que apresentava mais recentes eram:







* Temperatura corporal baixa
* Mudança de humor constante
* Inabilidade de lidar com stress
* Pele extremamente ressecada
* Dificuldade na digestão de comidas mais pesadas como massas, constipação ocasional, alergias 
* Disturbios do sono, insonia
* Exaustão, alternando entre super energética e cansada
* Dificuldade para baixar de peso
* Baixa glicose repentina, tontura
* Depressão leve, isolamento, sentimento de inadequação, distorção corporal
* TPM intensa, ciclo menstrual irregular, baixo ou zero libido.

Claro que alguns desses sintomas podem ser subjetivos à quantidade de stress e pressão num determinado período e também podem ser relacionados com uma gama enorme de outras doenças, mas por ler muito sobre essa questão e ter feito os calculos de quantas calorias eu necessito para manter meu metabolismo basal (o que meu corpo precisa para "sobreviver", ou seja, a energia necessaria para os órgãos e funcionamento vital) eu comecei a associar a ingestão de poucas calorias em relação ao nível de atividade, com as disfunções que estava apresentando e me fazendo detestar esse "lado negro" da vida saudável. Afinal, como que eu, com hábitos tão saudáveis e "controle" da minha dieta, posso apresentar esses sintomas sendo que todos os exames do meu check-up saíram normais?
Meu médico chegou a prescrever um anti-depressivo. Pyrei o.O Detesto remédio, só tomo em caso de extrema necessidade, e agora me via na situação de que para aliviar esses sintomas e viver com um pouco mais de qualidade eu necessitaria tomar um comprimido diariamente. Não cara, tem que ter uma outra saída.


E foi o que eu fiz. 

Não aconselho a ninguém fazer por conta própria, eu leio bastante sobre o assunto e participo de grupos e fóruns de apoio no processo de recuperação. Sem suporte não se consegue superar essa mentalidade de "dieta" (nunca segui uma ao pé da letra, mas restringia calorias demais pra quantidade de atividade que tentava manter), alimentos ideais, superação do seu limite em todo treino, atingir o "ideal", perfeccionismo, detalhismo, entre outras neuras que acabei aceitando como normal pra mim e estavam me deixando louca. 
Enfim, em 6 meses de altos e baixos (vários deles, inclusive em um único dia), posso dizer que estou bem mais equilibrada hoje.





Esses meus sintomas estavam todos interligados com hábitos que tinha inserido na minha "vida saudável" e aceitado como normais. Hábitos que estavam enraizando fundo um Transtorno Alimentar. Segundo o site da Gwyneth Olwyn ( YourEatopia - que é o resultado de quatro anos de intensas pesquisas e síntese sobre o tema de opções de base científica para a recuperação de distúrbios alimentares restritivos), esses são os 12 sinais que levantam a bandeirinha vermelha quando se tem uma relação inadequada em relação a comida e exercícios: 

1) Família e amigos mudaram de felicitá-lo por sua perda de peso e / ou suas escolhas mais saudáveis para fazer comentários cuidadosos ou até grosseiros que você parece muito magro , doente, ou em geral parecem não come o suficiente 

2) Você sente frio, quando os outros não. Você começou a usar blusas de manga comprida enquanto os outros estão usando manga curta. Às vezes você sente tonturas. Outras vezes, você se sente aérea - como se estivesse ouvindo os outros através de lã de algodão

3) Você está cansado e sua mente divaga . Você luta para se concentrar na sala de aula ou no trabalho. Você não pode se lembrar de coisas que os outros se lembram facilmente

4) Você está propenso a crises de choro e / ou surtos explosivos de raiva (mais do que o que poderia ser usual) . Você alterna entre a vontade de ficar sozinho, dando fora na família e depois fica pegajosa e necessitada, em busca de aconchego de seus entes queridos

5) Não só você acha difícil se concentrar, mas também acha que você está absolutamente consumido com pensamentos sobre comida . Quando você vai comer . O que você vai comer. O que você não vai comer 

6) Enfrentando circunstâncias sociais que envolvem comida cria pânico: festas de família , almoços com os amigos na escola, tempos de férias ... nos dias que antecederam a esses eventos você se sente extremamente ansioso e gasta muito tempo tentando descobrir como evitá-lo completamente

7) O número de regras que você atribui a quando e como vai comer fica cada vez mais longa. Você se tornou ritualístico até o ponto onde qualquer desvio provoca ansiedade enorme (a prato errado, o garfo no lugar errado...)

8) Você tem listas cada vez maiores de alimentos proibidos que você não vai tocar.

9) Se você extrapolar em qualquer alimento que você considera inaceitável , você está arruinado com vergonha, auto- ódio , aversão e, geralmente, puni a si mesmo por causa da transgressão (exercício até a exaustão, ignorando mais uma refeição)

10) Como mulher, seu ciclo menstrual regular é irregular ou desapareceu completamente . Se você é um homem ou mulher você percebe a sua pele parece maçante e seco. Seu cabelo e unhas são frágeis e, talvez, a sua perda de cabelo parece mais pronunciado do que o habitual (aglomerados no ralo do banheiro ou na sua escova) 

11) Você encontra-se prometendo a si mesmo e os outros cada vez mais que "amanhã" será diferente. Mas não é 

12) Você mente para entes queridos sobre o que você comeu naquele dia, ou sobre o quanto você realmente se exercitou e arranja desculpas do pq você não pode comer agora . Se eles são amigos , muitas vezes você inventa alergias alimentares, intolerâncias ou outras razões pelas quais você não pode ter o item em particular que está sendo oferecido.

Eu podia me reconhecer em vários desses, em 2010 foi onde tive o ápice da paranoia e quase surtei. Mesmo sem estar abaixo do peso, eu sofri terrivelmente as consequencias psicológicas e físicas. Acho que só não me entreguei mesmo a esses pensamentos obsessivos graças a responsabilidade por meu filho que falou mais alto e precisa ter forças por ele.

** Se você desconfia que tem um Transtorno Alimentar, procure ajuda médica. Isso é uma doença psicológica e pode ser fatal. **

The starvation experiment:

Separei esse link que fala sobre um experimento feito em Minnesota com 40 homens colocados em uma dieta de "fome" e pasmem, o total calórico consumido por dia era em média 1570. O objetivo era saber como tratar uma população afetada pela miséria após uma guerra. 
Sim, eles passaram FOME com 1570 calorias. E quantas calorias você se permite comer mesmo? 

Mostra todas as consequências que coloca-los nessa dieta resultou por 6 meses e como eles se recuperaram>> The starvation experiment:

> sua resistência física caiu pela metade

> a sua força foi reduzida em cerca de 10% , e os seus reflexos se tornaram lentos - os homens inicialmente mais aptos exibiram maior deterioração

> volume do coração encolheu cerca de 20%

> pressão arterial e as temperaturas do corpo caíram

> queixas de sensação de frio, cansado e com fome , ter dificuldade de concentração , dificuldade de raciocínio e de compreensão , tonturas , perturbações visuais , zumbido nos ouvidos , formigamento e entorpecimento de suas extremidades , dores de estômago , dores no corpo e dores de cabeça , dificuldade para dormir , perda de cabelo e pele seca e fina

> função sexual e tamanho dos testículos foram reduzidos e perderam todo o interesse em sexo (estamos falando de homens , aqui ... isso é um negócio muito grande ) 

> eles tinham todos os indícios físicos de envelhecimento acelerado.

> tornaram-se nervosos, ansiosos, apáticos, retraídos, impacientes , a auto- crítica com imagens corporais distorcidas e até mesmo se sentindo acima do peso , temperamentais, emotivos e deprimidos

> relações sociais e familiares sofreram

> tornaram-se obcecados com comida , pensando , falando e lendo sobre isso constantemente, desenvolvidos estranhos rituais alimentares ; começaram a acumular coisas ; consumindo grandes quantidades de café e chá , e mascando chiclete sem parar ( até 40 pacotes por dia ) . Episódios de compulsão alimentar também se tornou um problema, pois alguns dos homens eram incapazes de continuar a restringir sua alimentação com a sua fome.

Como eu comecei:

Segui a linha do [MinnieMaud guidelines]
1. Comer irrestritamente (no meu caso teria que aumentar as calorias para no mínimo 2500)
2. Parar de se exercitar 
3. Parar de se pesar/medir.

1. Por que tantas calorias? 
Para reparar os tecidos danificados, coração, pele, unhas, cabelo, rins, sistema digestivo, áreas do cérebro, ossos e sistemas de formação do sangue. Recompor o sistema hormonal e ganhar gordura. Sim! Gordura não é só uma unidade de armazenamento de energia, é o maior e mais importante órgão produtor de hormônios em seu corpo.
Quanto menos você comer, mais tempo leva para se recuperar, dificultando para o seu corpo encontrar o excesso de energia necessário para reparar o dano.
Não importa a qualidade do alimento e sim chegar a esse mínimo diário para recuperação.

2. Por que parar de se exercitar?
Seu corpo vai entrar em processo de recuperação e vai precisar de toda energia pra se restaurar internamente, se você continua a usar muita da energia que entra (comida) em exercícios, não irá sobrar a energia extra que é necessária. Eu como sou teimosa, continuei a treinar, mas passado um tempo eu parei por perceber sinais que precisava mesmo descansar (com exceção a yoga restaurativa). Vou explicar tudo no Recuperando o Metabolismo II (que prometo finalizar em breve).

3. Por que evitar a balança/fita métrica?
Você vai engordar. É inevitável. As consequências psicológicas disso são enormes, e quanto mais você se prender a esses números, pior. Eu acompanhei o peso mas como uma simples informação, dados que precisava pra ver meu progresso, na verdade, saber quando estabilizaria pra poder começar a próxima fase.

Como seu corpo reage na recuperação:

1. Mantem tudo suprimido e tira a energia para lidar com o reparo celular (que leva ao inchaço e retenção de água, inicialmente) e armazenar o resto em reservas de gordura (geralmente desproporcionalmente ao redor da barriga para isolar órgãos vitais);

2. Assumindo que ainda há energia suficiente ainda chegando, em seguida, aborda mais questões de reparação a longo prazo (densidade óssea, etc) e começar a aumentar as taxas metabólicas e trazer de volta ao normal funções biológicas;

3. Assumindo que energia adequada continua a vir em uma base diária, então dispara o sistema neuroendócrino regular e de volta ao normal e permite que a taxa metabólica volte ao normal também.

A recuperação não é o processo inverso da dieta. Com a dieta você cria um déficit calórico de modo que seu corpo faz o equilíbrio usando as reservas de energia em gordura, osso, músculos e órgãos importantes. Mas, com a recuperação, você tem que fornecer não apenas a energia suficiente para repor o tecido adiposo, mas também ainda mais energia é necessária para reverter o dano fisiológico generalizado.

Vou finalizando por aqui com alguns posts que li e me ajudaram muito, todos são em inglês: 
(todos me inspiraram diretamente a escrever esse post)



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2 comentários:

  1. Nossaaaa, que post enorme. Daria o capítulo de um livro. Realmente você é detalhista. Virgem ou caprocórnio? eheheheh Eu também tenho tentado me adaptar a essas mudanças de metaboliso e, mas não cheguei a sentir esses sintomas que você detectou. Deve ser bem difícil lidar com isso. bjbj!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hehehe Ariana que já deu muito murro em ponta de faca pra so aprender passando na pele ;) Beijão Luisa!

      Excluir